Sapo-comum – Bufo spinosus

O sapo-comum (Bufo spinosus) é o maior sapo da fauna portuguesa podendo atingir 20 cm de comprimento. É um animal robusto com a cabeça grande e arredondada e com focinho curto. A cor varia muito, podendo ser castanha, amarelada ou escura, o ventre é esbranquiçado ou amarelado. Tem as glândulas parótidas situadas na parte posterior da cabeça. A  pupila do olho é horizontal e a íris é de cor de alaranjada ou avermelhada.  A pele é rugosa com verrugas salientes no dorso. Os machos são bem mais pequenos que as fêmeas. Os girinos são muito pequenos, atingindo no máximo 3,5 cm de comprimento, são de cor negra.

Nome ComumSapo-comum

Nome Científico: Bufo spinosus

É um sapo de hábitos terrestres, a sua ligação à água está limitada ao período de reprodução passando o resto do tempo em terra. Durante a época de reprodução realizam longas migrações, por vezes de muitos quilómetros, até aos locais de reprodução, muitos sapos morrem nas estradas vítimas de atropelamento.

Em Portugal a sua distribuição é de Norte a Sul de forma contínua.

Apesar de, durante a noite, ser um eficaz horticultor e um fiel jardineiro no combate de pragas, é muito útil na agricultura por comer insetos, caracóis e lagartas que atacam as plantas cultivadas mas as pessoas acham-no repugnante e sentem medo, pelo que o sapo é  perseguido e muitas vezes morto. As crenças populares contam que este sapo urina um jato diretamente para os olhos humanos provocando assim a cegueira.  Nada mais errado! De facto a urina pode ser expelida quando o sapo é apanhado porque o animal fica em pânico e é uma forma de se defender!

Rui Lemos