O cardo-de-ouro ou tengarrinha – Etnobotânica

Quem diria que plantas tão espinhosas, como os cardos, pudessem ser tão suculentas e interessantes na nossa alimentação?

 

Existem várias espécies de cardos comestíveis. Uma das minhas preferidas é o cardo-de-ouro, cujo nome científico é Scolymus hispanicus L, conhecido em diversas regiões do país e por isso tem vários nomes comuns, como tengarrinha, cangarinha, carrasquinha, cardilho ou cantarinha. É muito fácil de identificar na fase de floração. A maioria dos outros cardos têm flores de tons de azul ou violeta, a tengarrinha tem flores amarelo-dourado, daí também ser conhecida por cardo-de-ouro, distribuídas ao longo da haste floral, ou espigão, que pode atingir um metro de altura.

Encontramos o cardo-de-ouro em solos bem drenados, secos e áridos e ricos em azoto. É rica em sais minerais e destacaria a ação protetora do fígado (hépato-protetora) de entre as suas propriedades medicinais.

As folhas são de cor verde brilhante com uma nervura esbranquiçada e por vezes avermelhada, muito espinhosas e dentadas. A parte comestível é precisamente a nervura que é suculenta antes da floração. Uso luvas de cabedal para colher as folhas e escolho as mais jovens ao centro da roseta de folhas. Depois temos de as preparar ripando as folhas espinhosas.

Há que fazer um alerta para o facto de nas zonas calcárias ocorre uma espécie de cardo venenosa, o cardo-matacão ou cardo-do-visco (Atractylis gumífera). Na fase de floração é fácil evitar confusões pela sua flor de cor lilás junto à roseta basal de folhas, mas antes da floração, um olhar mais inexperiente pode induzir em erro. A intoxicação pela sua ingestão causa náuseas, vómitos, dores de barriga, diarreia, ansiedade, dor de cabeça e convulsões, muitas vezes seguido de coma. Não há antídoto.

Voltando ao cardo-de-ouro uso do mesmo modo que o feijão-verde, em jardineira, albardados, salteados, sopa.

Cardos albardados ou peixinhos-do-campo

 Ingredientes

Polme: 50g Farinha de trigo

                50g Amido de milho ou farinha de serpentina

                Cerveja

                Sal q.b.

Óleo para fritar

Hum, delicioso!

Aceda também ao vídeo da série Natureza Comestível:  https://youtu.be/BWIEyHD5Fhg

http://www.quercustv.pt/tematicas/natureza-comestivel/

Alexandra Azevedo