MUSCLE – Sistema de Reabilitação de Edifícios para Standards NZEB

MUSCLE é uma visão sistémica juntando a arquitetura, o design industrial e a engenharia, propondo uma solução aplicável na reabilitação de qualquer contexto edificado entre os anos 1960 e 2000, tornando os edifícios mais ECOeficientes – mais qualidade arquitetónica, menos impactes, menores custos, evitando a sua demolição.

A metodologia parte, desde logo, pelo reconhecimento das comunidades e da sua relação com a cidade, para depois, numa segunda fase, se estudarem estruturalmente os edifícios percebendo qual o seu estado de conservação e potencial de melhoria a diversos níveis – mais espaço útil, eficiência energética, eficiência hídrica, eco-construção.

Como pressupõem o reforço dos edifícios existentes criando um exo-esqueleto estrutural e novos acessos verticais e novas infraestruturas, o sistema MUSCLE permite demolir, se necessário, alguns edifícios – realojando as pessoas em novos apartamentos construídos por cima dos edifícios que ficam. Reduzindo as áreas construídas, para criar jardins, praças, zonas desportivas e pequeno comércio, qualificando muito o espaço publico.

O reforço estrutural dos edifícios permite dar uma vida totalmente nova ao envelope exterior dos edifícios – da utilização das coberturas, como um novo “espaço urbano” – com áreas verdes, hortas urbanas, circulações pedonais, espaços de estar e de brincar, para a população sénior e para as crianças; A existência nas coberturas de grandes áreas de captação solar (fotovoltaica e térmica) que permitem reduzir os custos de energia podendo mesmo ser uma fonte de rendimento para a comunidade; Ou, ainda nas coberturas, os grandes depósitos de captação de águas pluviais, que permitem a sua utilização para descargas sanitárias ou para a rega dos pequenos jardins e criar nas varandas das habitações.

As varandas são a nova imagem do edifício. Adicionam mais espaço interior (entre 3 a 4 m2) e exterior (2 m2), melhorando o desempenho bioclimático das habitações. As varandas foram pensadas para uma pré-produção em série, estando prontas a plicar, fixando-as ao reforço estrutural exterior a criar nos edifícios. Tendo em conta que na Europa, as fachadas de grande parte dos edifícios dessa época é pré-fabricada, retirar as fachadas existentes e substituí-las pelas novas “varandas MUSCLE”, é uma tarefa rápida que evita o desalojamento dos habitantes.

Ao ser criado como uma visão sistémica e multidisciplinar, o MUSCLE pretende ser muito abrangente, pensando à partida todas as componentes arquitectónicas e de engenharia que poderão resultar da regeneração urbana e reabilitação de edifícios de habitação social, reduzindo muito a pegada ecológica dos habitantes, melhorando a sua qualidade de vida e reduzindo a sua dependência socioeconómica.

Miguel Veríssimo