Movimento Gaio

Como Movimento Terra Queimada começamos actuar em 2010, ouvindo testemunhos e opiniões, a publicar as nossas conclusões e actuar. É um nome que chama atenção e logo provoca reacções como palavra-chave do protesto contra o flagelo dos incêndios florestais que assolam este país.

 

Seis anos mais tarde, seis anos de experiência no campo para criar uma floresta que mereça este nome, uma floresta nativa e resiliente, fomos enfrentados com uma série de incêndios florestais catastróficos na Serra da Freita. Desta vez fomos nós as testemunhas da primeira linha, participando activamente no combate a estes incêndios.

Foi um período extremamente duro e devastador e das cinzas renasceu a nossa afirmação de continuar a criar vida e esperança duma forma mais activa.

Foi assim, que alguns dos nossos amigos voluntários sugeriram que era altura de mudar o nome do nosso Movimento Terra Queimada. Escolhemos como parceiro simbólico, o pássaro gaio. Seu grasnar áspero ecoa amplamente pelos bosques, e o seu trabalho de semeador de carvalhos é executado silenciosamente ano após ano. É com este ativista que nos identificamos e passamos a ser o Movimento Gaio.

Entretanto gente jovem da aldeia vizinha da Ameixieira, Santa Maria do Monte, forma-se num “Movimento Matéria Prima” para ajudar a reflorestar as áreas ardidas na Serra da Freita. Das cinzas surge a esperança do renascer e a consciência da mudança. Um novo futuro emerge na Serra da Freita para plantar a nova floresta nativa e combater os incêndios florestais.

Aliamo-nos com o conceito de Floresta Comum, segundo os benefícios que a floresta nativa oferece: ar puro, criação de oxigénio, captação de CO2, beleza, retenção da água, aumento da biodiversidade, destina-se a todos nós e é um bem comum até às futuras gerações.

Desde já queremos agradecer às entidades que têm participado com o seu apoio e ajuda: B.V.de Arouca, Geoparque de Arouca, Câmara Municipal de Arouca, Santa Casa da Misericórdia de Arouca, a empresa Jfm, a empresa Sinorgan, Projecto Floresta Comum, ICNF.

Convidamos a população local a participar na Primeira plantação 2017 no Baldio da Ameixieira no dia 22 de Janeiro, com início às 9h30 e finalizando às 16h.
Neste primeiro evento do ano do Movimento Gaio em parceria com o Baldio da Ameixieira na pessoa de Eduardo Oliveira, iremos contar com a participação da VO.U. – Associação de Voluntariado Universitário.
Pretendemos plantar o máximo possível de plantas nativas, num terreno ao lado dos Seixos Brancos. Esta área teve no mês passado uma intervenção da Montis e encontra-se preparada para receber as novas árvores.
Contamos com a vossa ajuda e só tem de se inscrever em: http://www.movimentogaio.org/eventos – as inscrições são obrigatórias no nosso site – ou para mais informações o contacto tlm: 934386588 [Teresa Markowsky].
Iremos fazer uma pausa merecida na hora do almoço com um piquenique partilhado entre todos. Levar merenda, luvas e resguardo. 

Se participarem nesta atividade do Movimento Gaio e tiverem lugares disponíveis para partilhar ou procuram uma boleia, entrem em contacto connosco e tentaremos fazer a ligação entre a oferta e procura.

Coordenadas GPS: 40.8949202, -8.2723393