Licranço – Anguis fragilis

Este é um dos casos em que se pode dizer que as aparências iludem. O licranço (Anguis fragilis) é um lagarto sem membros, normalmente é confundido com cobras pelas pessoas.

Nome Comum: Licranço

Nome Científico: Anguis fragilis

Família: Anguidae

O licranço ocorre no Norte e Centro do país, sendo o seu limite meridional a Serra de Sintra e a Península de Setubal.

 Habita em locais com humidade como prados e bosques, com abundante cobertura vegetal. Também pode ocorrer em zonas cultivadas. Evita locais muito expostos e secos, assim como locais permanentemente alagados e refugia-se debaixo de troncos, pedras e galerias de roedores. É possível observar esta espécie desde o nível do mar até aos 1800 m na Serra da Estrela.

O licranço tem hábitos crepusculares ou noturnos, mas quando em condições de temperatura e humidade ideais, pode ser observado durante o dia.
Trata-se de uma espécie que está ativa desde Março até Novembro, invernando durante o resto do ano. Em comparação com os restantes répteis é bastante resistente ao frio.

A longevidade desta espécie é bastante longa, existindo registos de indivíduos que em cativeiro sobreviveram durante 55 anos. Como principais predadores incluem-se mamíferos, aves de rapina, cobras e o sardão.

 Ao contrário do que muita gente pensa esta não é uma espécie venenosa, é absolutamente inofensiva, cujo o principal mecanismo de defesa é a capacidade de autonomia da cauda. A utilização de pesticidas e a alteração do habitat são consideradas as principais ameaças sobre esta espécie.

Rui Lemos